Santa Catarina presente no Primeiro Fórum da Liderança Sindical Feminina promovido pela CNA, em Brasília

O evento também teve um espaço de vivência, onde as participantes puderam conhecer mais sobre a atuação do Sistema CNA/Senar

O estado de Santa Catarina esteve representado no primeiro Fórum da Liderança Sindical Feminina, organizado pela Comissão Nacional das Mulheres do Agro da CNA. O evento ocorreu, nesta quarta-feira (03), na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, em Brasília, com representantes do agro de todas as regiões do país

A comitiva catarinense, liderada pela coordenadora de departamento sindical da Faesc Andreia Barbieri Zanluchi, contou com a participação de 10 representantes dos Sindicatos Rurais de todas as regiões do estado (produtoras rurais, empresárias e empregadoras rurais associadas aos Sindicatos).

“É uma satisfação, como produtora rural, representar as mulheres do agro catarinense no evento e destacar a nossa crescente representatividade na tomada de decisões, seja nos negócios familiares, nos Sindicatos Rurais, nas entidades do agronegócio ou na sociedade”, afirmou Andreia.

O Sistema Faesc/Senar, comandado pelo presidente José Zeferino Pedrozo, tem sido um grande incentivador do crescimento do empreendedorismo feminino no setor produtivo. “Em junho de 2019, começou o trabalho das lideranças formadas por mulheres do agro catarinense, com o objetivo de garantir que todos os Sindicatos tivessem suas representantes para discutir pautas de interesse do estado, respeitando as peculiaridades de cada região ou município. Infelizmente, as atividades foram interrompidas pela pandemia, no entanto, graças à dedicação das representantes da Comissão Nacional de Mulheres do Agro da CNA, estamos retomando as atividades em nosso estado”, salientou Pedrozo.

De acordo com Andreia, as representantes de Santa Catarina estão determinadas a enfrentar esse novo desafio. “O evento, em Brasília, teve papel fundamental para impulsionar a representatividade feminina no empreendedorismo no campo e no sistema sindical rural. Sabemos que temos um caminho longo a percorrer, mas com a dedicação e o apoio da Comissão Nacional de Mulheres do Agro da CNA, alcançaremos nossos objetivos”.

Por fim, em nome do Sistema Faesc/Senar, a delegação catarinense agradeceu à CNA e à Comissão Nacional de Mulheres do Agro pela oportunidade de participar do Fórum.  “Aproveitamos para parabenizar pelo grandioso trabalho que contribui para o desenvolvimento das mulheres do agro em nosso estado e em todo o país”.

SOBRE O 1º FÓRUM DA LIDERANÇA SINDICAL FEMININA

Em mensagem na abertura do primeiro Fórum da Liderança Sindical Feminina, na quarta (3), o presidente da CNA, João Martins, falou da importância da atuação das mulheres para fazer o agro, o sistema sindical e um Brasil cada vez melhor.

As lideranças femininas participaram ao longo do dia de uma programação que contou com a realização de painéis em formato de mesa redonda e uma oficina sobre a representatividade rural. O evento também teve um espaço de vivência, onde as participantes puderam conhecer mais sobre a atuação do Sistema CNA/Senar.

Na mensagem enviada ao Fórum, Martins disse que desde a criação da Comissão, em agosto de 2022, foram várias conquistas e resultados expressivos, sempre em busca de aumentar a presença e a representatividade feminina no sistema sindical, a renda e a qualidade produtiva na agropecuária realizada por mulheres no campo.

O presidente da CNA lembrou que os grupos estaduais do Sistema CNA/Senar em atuação passaram de 3 para 18 desde a sua criação e que, apesar de “estarmos no início da jornada”, é um fato inquestionável a presença cada vez maior de mulheres na direção e organização de propriedades e de empresas rurais.

Ao discursar na abertura, a senadora Tereza Cristina falou da sua experiência no setor e na política e agradeceu ao presidente João Martins e ao diretor-geral do Senar, Daniel Carrara, por serem entusiastas e apoiarem o trabalho e a liderança das mulheres.

Segundo ela, não foi uma trajetória fácil para superar dificuldades até conseguir ganhar a confiança necessária para realizar seu trabalho e ser respeitada. Ela disse ainda que é preciso as mulheres ocuparem cada vez mais espaços. “Precisamos querer e precisamos estar na política, no Legislativo, no Executivo, na política sindical também, para mudar a vida das pessoas.”

Ao dar as boas-vindas às participantes do Fórum, Daniel Carrara falou de como o exemplo da sua mãe foi fundamental na sua trajetória e na sua carreira profissional, mostrou como as mulheres ocupam espaços no Sistema CNA/Senar e enumerou as iniciativas espalhadas pelo país, como a Comissão Nacional das Mulheres do Agro, que incentivam essa participação.

“Hoje eu tenho o prazer de dizer que o Sistema CNA/Senar é a casa da produtora rural. Vocês, juntas, estão aqui para colocar o agro no patamar que ele deve estar, que é no topo”, afirmou Carrara.

A presidente da Comissão Nacional das Mulheres do Agro da CNA, Stéphanie Ferreira, também destacou a relevância do evento, agradeceu às representantes estaduais e convidadas presentes, e fez um relato da trajetória e dos trabalhos realizados pela Comissão.

Segundo Stéphanie, as conquistas só foram possíveis pelo trabalho executado dentro dos objetivos propostos e dos eixos de atuação da Comissão que são o desenvolvimento de lideranças femininas, o apoio a grupos estaduais e a representação política e técnica.

 

Fonte da Pauta:

MB Comunicação Empresarial/Organizacional

Jornalista Responsável – Marcos A. Bedin

Últimas notícias

Bebê de seis meses morre ao se engasgar com leite

A guarnição do ASU-427 foi acionada para atendimento de...

Homem some durante pescaria em praia da região

Bota usada por vítima e acessórios de pesca foram...

Tubarão Futsal perde por 2 a 1 na Liga Nacional

O time se manteve com 15 pontos, faltando sete...

Desafio Rota da Baleia recebe inscrições

Quinta edição de corrida por trilhas passará por Garopaba,...

Faleceu aos 85 anos a Sra. Lelina Grassi Pereira

Faleceu ontem dia (22) a meia noite aos 85...

Notícias Relacionadas