22ª Semana Nacional de Museus inicia em Criciúma

Focado em educação e pesquisa, o Museu Municipal Histórico e Geográfico Augusto Casagrande é palco para a 22ª edição da Semana Nacional de Museus no município de Criciúma

O evento iniciou nesta segunda-feira (13) e possui grande relevância para a cultura e história da cidade. Este ano, o tema escolhido para Criciúma é “Entre Memória e Descobertas: Museu Como Laboratório da Educação e Pesquisa”. O museu oferecerá, até sexta-feira (17), uma programação com exposição de fotografias, jornais e acervos relacionados ao tema. Os visitantes têm a oportunidade de participar de quatro oficinas e um dia de workshop, mediante inscrição gratuita.

A historiadora do Museu Augusto Casagrande, Cinthia Franco, destaca que a participação da instituição na Semana Nacional dos Museus é essencial, pois ressalta o papel do museu como um verdadeiro laboratório para estudos e investigações. “Situado como um espaço de preservação e divulgação da história local, o museu se torna uma fonte importante para a comunidade acadêmica e o público em geral. Ao abrir suas portas durante este evento nacional, ele oferece não apenas a oportunidade de apreciar artefatos e exposições, mas também de se engajar em atividades educativas e pesquisa ativa que acontecerão no local”, enfatizou.

A Semana Nacional de Museus é uma iniciativa coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), realizada em celebração ao Dia Internacional dos Museus, comemorado no dia 18 de maio. O tema da temporada de eventos é definido anualmente pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM), e a temática escolhida para a 22ª Semana Nacional de Museus é “Museus, Educação e Pesquisa”.

Segundo o diretor de Cultura da Fundação Cultural de Criciúma (FCC), Ismail Ahmad, o museu desempenha um papel relevante como guardião de acervos valiosos. “Além de preservar a memória de uma população, os museus servem como fontes primárias para investigações acadêmicas e científicas. Por meio de exposições interativas, visitas acompanhadas, oficinas e palestras, nós focamos em promover um ambiente enriquecedor para os estudantes, pesquisadores e para a comunidade em geral”, ressaltou.

As oficinas têm como objetivo ensinar sobre o manuseio dos acervos de livros, documentos e fotos, além de instruir acerca da realização da limpeza e conservação desses materiais. Na quarta-feira (15) e sexta-feira, os visitantes terão a oportunidade de receber um sachê antipragas para colocar na biblioteca, junto com os livros, a fim de auxiliar na conservação. No workshop: “Sons que contam histórias: um diálogo entre áudios antigos e atuais”, será explorada a evolução da pesquisa através de áudios, gravados geralmente em fitas, até o momento atual, com a utilização da Inteligência Artificial (IA). As oficinas de conversação serão apresentadas pela coordenadora do Arquivo Histórico da FCC, Marilei Rodrigues Correa. Já as oficinas de prevenção e contra pragas, além do workshop, ficarão sob a responsabilidade da historiadora Cinthia Franco.

Os interessados em prestigiar a iniciativa devem se inscrever, de forma gratuita, pelo telefone (48) 99988-1804.

Últimas notícias

O Criciúma Esporte Clube recebeu o Laudo de Salubridade

O Criciúma Esporte Clube recebeu o Laudo de Salubridade,...

Faleceuaos 95 anos o Sr. Pedro Correa Nunes

Faleceu hoje dia (18) a 00:10 no hospital de...

Meia deixa o Atlético Tubarão uma semana depois de ser anunciado

Ele recebeu uma proposta do Ferroviário (CE), que disputa...

Agricultor de 74 anos colhe batata-doce gigante em Alto Bela Vista

O agricultor Ivo Kossian, de 74 anos, colheu uma...

Governo de SC vai lançar projeto para abrigar desalojados do Rio Grande do Sul

Segundo dados da Assistência Social, aproximadamente 400 famílias já...

Notícias Relacionadas