Escassez de cacau: déficit global aumenta preços em 300%

Principais causas incluem a doença do broto inchado do cacau e degradação do solo

O Dia Mundial do Chocolate, celebrado anualmente em 7 de julho, marca a chegada deste produto na Europa no século 15. Antes disso, o chocolate era consumido apenas pelos povos maias e astecas, que o consideravam sagrado. Com a Revolução Industrial, o chocolate se popularizou e, desde então, tornou-se uma das iguarias mais apreciadas no mundo. No Brasil, as sementes de cacau chegaram por volta de 1746, trazidas à Bahia por Antônio Dias Ribeiro, onde o clima e o solo se mostraram ideais para o cultivo.

As principais causas dessa crise incluem a doença do broto inchado do cacau, degradação do solo e mineração ilegal de ouro. Além de diminuir a quantidade, esses fatores também afetam a qualidade do cacau, especialmente suas amêndoas, valorizadas por seu perfil aromático único. Embora haja esperança de uma leve queda nos preços no terceiro trimestre de 2024, a recuperação total não é esperada nos próximos anos, obrigando fabricantes a adaptarem suas estratégias de produção.

Nesse cenário, a multinacional de nutrição sustentável Kerry propõe soluções inovadoras para a substituição parcial do cacau em pó. Francis de Campos Ferreira, diretor global de portfólio de extratos de cacau e aromas de chocolate da Kerry, enfatiza a necessidade de sustentabilidade. “A crise do cacau apresenta desafios e oportunidades para inovação. A sustentabilidade, se abordada de forma eficaz, pode transformar a produção de cacau”, afirma Ferreira.

A Kerry utiliza seu conhecimento em ciência de alimentos e aromas para manter a qualidade sensorial dos produtos à base de cacau, mesmo com a escassez. Fernanda Fontolan, gerente de Taste para a América Latina da Kerry, destaca que os diversos perfis de chocolate atendem a uma ampla gama de preferências dos consumidores, aparecendo em destaque na pesquisa global Kerry, Taste Charts 2024.

Assim, as inovações tecnológicas e a busca por sustentabilidade não só atenuam as pressões externas sobre o setor, mas também apontam para um futuro mais resiliente e sustentável na produção de chocolate, garantindo que essa iguaria continue a ser apreciada por gerações futuras.

AGROLINK – Aline Merladete

Últimas notícias

Depois de duas derrotas fora de casa, Tigre enfrenta o Fortaleza nessa quarta no HH

O jogo é válido pela 3ª rodada do Campeonato...

Bebê de seis meses morre ao se engasgar com leite

A guarnição do ASU-427 foi acionada para atendimento de...

Homem some durante pescaria em praia da região

Bota usada por vítima e acessórios de pesca foram...

Tubarão Futsal perde por 2 a 1 na Liga Nacional

O time se manteve com 15 pontos, faltando sete...

Desafio Rota da Baleia recebe inscrições

Quinta edição de corrida por trilhas passará por Garopaba,...

Notícias Relacionadas