Baleias-francas já estão em grande número no litoral de Santa Catarina

Este grande número também traz notícias tristes,
como o encalhe de dois filhotes, em praias de Imbituba e Arroio do Silva
(SC) nos últimos dias

As expectativas de uma temporada repleta de baleias-francas no litoral catarinense, em função de suas primeiras aparições mais cedo, já no final de maio, parecem se concretizar. A temporada anual corresponde entre julho e novembro, porém, entre os dias 02 e 03 deste mês há o registro de pelo menos 33 delas, incluindo 13 filhotes, sem contar dois pares de mãe e filhote avistados no litoral do Rio de Janeiro e em Ilhabela (SP), na última semana. Este grande número também traz notícias tristes, como o encalhe de dois filhotes, em praias de Imbituba e Arroio do Silva (SC) nos últimos dias.

Segundo Karina Groch, diretora e pesquisadora do ProFRANCA, que monitora e estuda esses mamíferos na costa brasileira, com patrocínio da Petrobras, ainda é cedo para afirmar se a temporada será de mais ou menos baleias que nas anteriores. Mas ela considera o resultado até agora um bom sinal. “Também estudamos hipóteses para elas terem chegado mais cedo. A principal é o fenômeno El Niño, que influencia na disponibilidade de alimento na Antártica e, consequentemente, na migração para as áreas de reprodução, como nosso litoral”, explica, com cautela.

 

As baleias-francas procuram o sul do Brasil, especialmente o litoral de Santa Catarina, para o nascimento dos filhotes – a região é considerada um berçário para a espécie. Caçadas durante séculos, até o início dos anos 1970, quase chegaram à extinção e ainda são consideradas uma espécie ameaçada. “A conscientização, estudos e monitoramento resultaram em uma taxa de crescimento estimada em 4,8% ao ano. Um percentual bastante expressivo”, comemora Karina. Atualmente, o Pro FRANCA tem no Catálogo Brasileiro de Fotoidentificação das Baleias-Francas, mantido pelo projeto, mais de 1.100 baleias-francas catalogadas desde 1987. Algumas delas já em águas catarinenses neste ano. “Contabilizamos ao menos oito velhas conhecidas até agora”, diz Karina.

Para saber mais – O ProFRANCA informa frequentemente em seus stories, no Instagram e Facebook, onde foram avistadas as baleias-francas. No site do Projeto (baleiafranca.org.br) há mais detalhes sobre como são Praia de Itapirubá Norte, em Imbituba, conta com um Centro de Visitantes – o Centro Nacional Conservação da Baleia Franca – e é aberta de terça-feira a sábado, entre 9h e 12h e das 14h às-17h.

Imbituba também conta com um  Museu Histórico – o Museu da Baleia, localizado na Praia do Porto, antiga estação baleeira onde eram processadas as baleias caçadas na região antigamente. O ProFRANCA – Projeto Franca Austral – é realizado pelo Instituto Australis e conta com patrocínio da Petrobras e do Governo Federal, por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

 

Pauta: Sul Notícias

Últimas notícias

Depois de duas derrotas fora de casa, Tigre enfrenta o Fortaleza nessa quarta no HH

O jogo é válido pela 3ª rodada do Campeonato...

Bebê de seis meses morre ao se engasgar com leite

A guarnição do ASU-427 foi acionada para atendimento de...

Homem some durante pescaria em praia da região

Bota usada por vítima e acessórios de pesca foram...

Tubarão Futsal perde por 2 a 1 na Liga Nacional

O time se manteve com 15 pontos, faltando sete...

Desafio Rota da Baleia recebe inscrições

Quinta edição de corrida por trilhas passará por Garopaba,...

Notícias Relacionadas