Vacinação contra gripe: Estado antecipa campanha devido à alta de casos

Segundo a Dive, sete pessoas já morreram em SC neste ano por influenza

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), começou a distribuir as vacinas contra a gripe para os municípios de Santa Catarina nesta segunda (18).

A aplicação começa assim que as cidades receberem os imunizantes. O dia D, sábado em que há uma mobilização estadual para vacinação, está previsto para ocorrer no dia 13 de abril.

A antecipação da campanha ocorre em virtude do aumento de casos de doenças respiratórias em todo o país, a partir disso o Ministério da Saúde (MS) decidiu antecipar para o mês de março a campanha de vacinação contra a gripe que ocorre tradicionalmente entre os meses de abril e maio.

Sete mortes em SC

Até o dia 09 de março, segundo boletim epidemiológico da doença divulgado pela Dive, foram confirmados no estado de Santa Catarina 95 hospitalizações por gripe (influenza), sendo que os mais acometidos foram os idosos com 60 anos ou mais (51%). Deste total, sete pessoas morreram.

A grande maioria também idosos acima dos 60 anos (85%), grupo prioritário na campanha de vacinação contra a gripe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assim como nos anos anteriores, a vacinação será destinada apenas para a população dos grupos prioritários (ver lista abaixo), um total de 3.023.725 pessoas. A meta é imunizar, ao menos, 90% desse público até o dia 31 de maio.

Os grupos prioritários a serem vacinados são:

* Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias);

* Trabalhadores da saúde;

* Gestantes e puérperas (mães até 45 após o parto);

* Professores do ensino básico e superior;

* Povos indígenas e quilombolas;

* Idosos com 60 anos ou mais de idade;

* Pessoas em situação de rua;

* Profissionais das Forças de Segurança e Salvamento;

* Profissionais das Forças Armadas;

* Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independentemente da idade;

* Pessoas com deficiência permanente;

* Caminhoneiros;

* Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário para passageiros urbanos e de longo curso;

* Trabalhadores Portuários;

* População privada de liberdade e funcionários do sistema de privação de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas.

A gerente de doenças infecciosas agudas e imunização da Dive, Arieli Schiessl Fialho, destaca que a vacina tem papel fundamental na prevenção de casos graves, hospitalizações e mortes pela doença.

“Todas as pessoas que fazem parte dos grupos prioritários são pessoas mais vulneráveis, mais suscetíveis a evoluir para gravidade caso sejam infectadas pelo vírus influenza, que causa a gripe. Então, é extremamente importante que essa população procure uma unidade de saúde e tome a vacina”, esclarece.

A vacina contra a gripe oferecida na rede pública de saúde é a trivalente. Ela protege contra os principais vírus influenza em circulação no Brasil, que são o influenza A (H1N1), influenza A (H3N2) e o vírus influenza B.

A SES ressalta que a dose não causa gripe e pode ser aplicada simultaneamente com outros imunizantes do Calendário Nacional de Vacinação. Crianças que vão receber a vacina pela primeira vez devem tomar duas doses, com um intervalo de 30 dias.

Fonte: Sul Agora

Últimas notícias

Comarca de Orleans abre cadastro de entidades para destinação de penas pecuniárias

Em 2023, seis entidades receberam mais de R$ 83...

Brasil: menino de 13 anos que morreu após agressões na escola disse que tinha medo de morrer

Carlos Teixeira, de 13 anos, morreu na última terça-feira...

Homem é preso e 3 toneladas de carne são apreendidas em abatedouro clandestino em Braço do Norte

Operação da Polícia Civil e Cidasc ocorreu na tarde...

Sebo é alvo de roubo no Centro de Tubarão

O assaltante conseguiu levar consigo duas CPUs antes de...

Notícias Relacionadas