Lembra dela? Cédula de R$ 1 hoje pode custar uma pequena fortuna

Introduzida no Brasil no início do Plano Real, em 1994, a nota parou de circular em 2005, quando foi substituída pela moeda de mesmo valor

Recentemente, tem sido notável o aumento de colecionadores de moedas e notas, e uma das peças mais desejadas por eles é a conhecida cédula de R$ 1.

Vamos explorar a história e particularidades dessa nota, além de descobrir como é viável transformá-la em um valor considerável em dinheiro.

A cédula de R$ 1 entrou em circulação no Brasil durante o lançamento do Plano Real, em 1994. No entanto, sua circulação durou somente até 2005, quando foi substituída pela moeda de R$ 1.

Esse acontecimento aumentou significativamente o valor e a importância da nota, tornando-a um item raro e valioso para os colecionadores.

Características da cédula de R$ 1

A nota de R$ 1 apresenta aspectos distintos que a tornam atrativa para os colecionadores. Ela é de cor verde e exibe a Efígie da República, além de uma figura de beija-flor em seu design.

É importante observar que as notas devem conter as letras BA no registro da série e as assinaturas de Pedro S. Malan e Gustavo JL Loyola. Tais características são encontradas nas séries que vão de B0001 até 0072A.

Uma nota de R$ 1 com tais características específicas pode alcançar um valor de até R$ 1900 em transações comerciais.

Valor pode variar

As notas que foram dobradas, mas ainda estão em excelente estado de conservação, são conhecidas como “estado de soberba”.

Nesse caso, o valor da nota é de R$ 11, o que ainda é considerado alto em relação ao valor nominal, representando uma valorização de 11%.

É importante ressaltar que as cédulas em estado de soberba apresentam pequenos sinais de manuseio.

Em síntese, um item só se enquadra nessa descrição se tiver, no máximo, três pequenas marcas ou uma dobra. Além disso, o papel deve ser firme e limpo, mantendo o brilho original.

No caso da moeda classificada como “muito bem conservada”, abreviada como MBC, ela contém sinais de manuseio, como múltiplas marcas de dobra. Porém, o papel da cédula deve ter pouca sujeira e manchas na cor, e ainda manter certa rigidez.

Na categoria MBC, as moedas também não devem ter cortes ou rasgos na margem, e os cantos não podem estar completamente arredondados. Itens que se encaixam nessa categoria podem ser vendidos por R$ 5,50.

Dicas práticas para vender sua cédula

Na hora de vender suas notas raras, existem algumas dicas que podem ajudar a obter o melhor preço:

  1. Corrija possíveis equívocos sobre a história da cédula ou moeda;
  2. Forneça garantias de autenticidade e proteção, como certificados de autenticidade;
  3. Tire boas fotos dos itens, destacando seus detalhes e condição;
  4. Faça uma pesquisa de mercado para entender os preços praticados e encontrar o melhor valor para suas notas.

Multiverso Notícias

Últimas notícias

Comitiva de Imbituba está na maior feria de turismo da América Latina

Imbituba está representada por um grupo dirigido pela Secretaria...

Mutirão da campanha Castração é a Solução realiza 267 procedimentos no final de semana em Criciúma

Iniciativa tem como objetivo reduzir a quantidade de animais...

PM resgata cães e gatos em situação de maus-tratos em Treviso

Na manhã de segunda-feira, 15, a Polícia Militar de...

Juventus recebe R$ 1,5 milhão de emenda parlamentar para investir na base

O Juventus ganhou mais uma ajuda para o fortalecimento...

CBF afasta três árbitros após a 1ª rodada do Brasileirão

As polêmicas logo na primeira rodada do Campeonato Brasileiro...

Notícias Relacionadas