Dia Mundial do sono acontece sexta 15 de março

Iniciativa da World Sleep Foundation, representada no Brasil pela ABS – Associação Brasileira do Sono – a data ressalta a manutenção da saúde mental por meio de uma boa noite de sono

O Dia Mundial do Sono, 15 de março, é um evento anual e mundial de conscientização iniciado por um grupo de profissionais de saúde e membros da comunidade médica que trabalham e estudam essa área da medicina. O objetivo da primeira comemoração da data, em 2008, foi reunir profissionais de saúde para discutir e distribuir informações sobre o tema. Atualmente organizado pela Sociedade Mundial do Sono (World Sleep Society), o evento visa diminuir o peso que os problemas do sono provocam na sociedade, por meio da prevenção e do manejo desses distúrbios.

É durante o sono que o organismo exerce as principais funções restauradoras do corpo, como o reparo dos tecidos, o crescimento muscular e a síntese de proteínas. Durante este momento, é possível repor energias e regular o metabolismo, fatores essenciais para manter corpo e mente saudáveis. Dormir bem é, então, hábito que deve ser incluído na rotina de todos.

Especialistas recomendam em média oito horas de sono por dia, sem interrupções. Este número pode variar de acordo com a idade de cada indivíduo e as necessidades de desenvolvimento de seu corpo, de acordo com o indicado: adultos necessitam de sete a oito horas de sono de qualidade e em horários regulares por dia; adolescentes precisam dormir cerca de oito a 10 horas diariamente; crianças necessitam de nove a 13 horas de sono a cada dia e bebês precisam dormir de 12 a 16 horas por dia. Dormir bem não considera apenas o total de horas de sono. É importante ter um sono de boa qualidade, para que se sinta descansado ao acordar. Ter regularidade no horário de dormir também é um fator essencial para criar bons hábitos noturnos.

Um sono de qualidade e por tempo adequado pode proporcionar diversos benefícios à saúde do organismo em geral. Por fortalecer o sistema imunológico, liberar a produção de alguns hormônios e consolidar a memória, dormir bem pode ajudar a: manter um peso saudável; diminuir o risco de desenvolver doenças como diabetes e problemas cardiovasculares; ficar doente com menor frequência; reduzir o estresse; melhorar o humor e a sociabilidade; melhor concentração; evita acidentes causados pelo cansaço, entre outros.Alguns hábitos que ajudam a ter um sono reparador são: praticar atividade física, mas não antes de deitar; eliminar luzes e barulhos durante a noite, sempre que possível; adotar uma rotina de horários para dormir e acordar, com 7h a 9h de repouso; se tiver o hábito de dormir de dia, o cochilo não deve ultrapassar 45 minutos; evitar ingerir álcool 4h antes de dormir e não fumar; evitar cafeína pelo menos 6h antes de dormir; evitar alimentação “pesada”, apimentada e doces por pelo menos 4h antes de dormir.

Outra informação importante é que a escolha de um colchão e travesseiro são itens essenciais para garantir a qualidade do sono, um dado alarmante – 73 milhões de pessoas tem algum problema para dormir!

Mas, como o consumidor pode então diferenciar um bom produto de outros tantos regulares, sem se ater apenas pelo preço, e assim garantir qualidade ao dormir? A resposta é simples, mas, desconhecida pela grande maioria: os selos que estão dispostos nas laterais do colchão que atestam a qualidade dos produtos. Dois são essenciais no momento de escolha, sendo que dos 400 fabricantes de colchões no Brasil apenas cinco são aprovados pelo INER: Certificado INER – Pró-Espuma: A F.A. Colchões é uma das cinco fabricantes que podem usar o selo de qualidade Pró-Espuma. Os colchões são produzidos de acordo com as normas técnicas mais rigorosas do Brasil e fiscalizadas mensalmente; Certificado ABICOL indica que foi produzido por uma fábrica que atende aos requisitos obrigatórios estabelecidos no Sistema de Gestão de Boas Práticas estabelecido pela Abicol, e que cumpre, comprovadamente, a legislação e as normas vigentes.

Outra questão importante a ser avaliada é a tecnologia que cada marca investe em seus produtos. A F.A. possui um dos mais modernos laboratórios para análise de espumas no Brasil, com engenheiros especializados. Empregam alta tecnologia no desenvolvimento dos produtos, atendendo todas as faixas etárias, biotipos e preferências de conforto.

A que mais se destaca é o scanner do sono – (manta F.A sensor) – que identifica os pontos de maior pressão de todos os biotipos, e permite criar opções diferenciadas para esses biotipos.

 “Por meio de pesquisas de última geração garantimos produtos que trazem máximo conforto para o público respeitando algumas necessidades especificas. É muito importante que sejam avaliados os selos conferidos pelas marcas, pois só assim o consumidor terá a certeza de que está fazendo uma boa compra e garantindo um bom sono.”, conclui Rafael Padilha, gerente de marketing da F.A. Colchões.

Algumas curiosidades e informações: a tecnologia sense ice possui fios inibidores de calor; travesseiro de látex é a melhor opção para o calor; depois de três anos de uso o colchão pode conter 10 milhões de ácaros um colchão deve ser trocado após três anos de uso; sinais de troca do colchão, tempo, barulho, dores no corpo ao acordar e sinais de afundamento; qual segredo das camas de hotel – o pillow up, camada extra de conforto usada em cima do colchão.

 

Assessoria de imprensa F.A.Colchões

AVA Comunicação

Jornalismo:

Sandra Calvi – sandra@avacom.com.br

Julia Arcos – julia@avacom.com.br

Últimas notícias

Síndrome da fadiga crônica atinge mais mulheres e quem teve Covid ou dengue

No Brasil, o Ministério da Saúde não tem dados...

Equipe de Tubarão brilha no Brasileiro de Karatê

Neste final de semana, a cidade de Joinville foi...

Jaraguá Futsal amassa o Corinthians e sai na frente na 1ª fase da Copa do Brasil

Na teoria, equilíbrio. Na prática, domínio total aurinegro. Em...

O Tigre realizou um treino técnico e tático na tarde desta segunda-feira

O Criciúma terá pouco tempo de preparação até entrar...

Suicídio: o preocupante aumento da taxa entre crianças e jovens e a importância de falar sobre o tema

No período de 2011 a 2022, observou-se um crescimento...

Notícias Relacionadas