Casos de dengue e de focos do mosquito seguem crescendo em Tubarão

Até essa quinta-feira, foram registrados 188 focos do mosquito encontrados este ano, contra 173 da última semana

O aumento dos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, segue em ritmo acelerado em Tubarão, segundo boletim divulgado pelo Núcleo de Cwombate às Endemias do Centro de Operações de Emergências Municipais em Saúde (Coems) e da Vigilância Epidemiológica.

Até essa quinta-feira, foram registrados 188 focos do mosquito encontrados este ano, contra 173 da última semana: 60 em Oficinas, 26 no Centro, 22 na Vila Esperança, 15 no Humaitá de Cima, 12 no São João margem esquerda, dez na Vila Moema, oito no Humaitá, oito no Santo Antônio de Pádua, cinco no São Cristóvão, quatro no Dehon, três no Recife e Monte Castelo, dois em São Martinho e no Morrotes, e um foco cada no Fábio Silva, no Sertão dos Corrêas e no Revoredo. Em termos de notificações, registrou-se mais um aumento, de 431 para 495.

Em relação a casos confirmados da doença em Tubarão, outro aumento, e bastante preocupante: são agora 48 no total, contra 37 na última semana, sendo 17 alóctones (transmissão fora da cidade) e outros 31 autóctones (transmissão dentro da cidade). Existem ainda 366 casos descartados, e outros 81 sob investigação no momento.

Combate

Mais do que nunca, e ressaltando os números bastante elevados já registrados este ano em todo o Estado e no país, a participação da comunidade no combate ao mosquito, que transmite, além da dengue, a febre chikungunya e o zika vírus, se faz mais do que necessária, em trabalho conjunto às autoridades de saúde do município.

“Também é possível ajudar por meio de denúncias sobre a existência de possíveis focos, por meio do telefone 3621-9051, ou pelo e-mail ouvidoria@tubarao.sc.gov.br”, reforçam as equipes de saúde.

Cuidados que podem ajudar

O uso de repelentes como proteção adicional, ao longo de todo o dia, é recomendado pelas autoridades de saúde, pois este é o período em que o mosquito está mais ativo. “Este tipo de produto proporciona mais segurança em relação à picada do inseto. Em tempo, inseticidas também podem ser utilizados, sempre de acordo com suas respectivas instruções. Mosquiteiros podem servir como proteção a pessoas que se encontram em repouso durante o dia, como bebês e acamados”, pontuam. Também deve ser evitado manter em casa recipientes que possam armazenar água a céu aberto, como latas, baldes, garrafas e vasos.

Fonte: DS

Últimas notícias

O Criciúma Esporte Clube recebeu o Laudo de Salubridade

O Criciúma Esporte Clube recebeu o Laudo de Salubridade,...

Faleceuaos 95 anos o Sr. Pedro Correa Nunes

Faleceu hoje dia (18) a 00:10 no hospital de...

Meia deixa o Atlético Tubarão uma semana depois de ser anunciado

Ele recebeu uma proposta do Ferroviário (CE), que disputa...

Agricultor de 74 anos colhe batata-doce gigante em Alto Bela Vista

O agricultor Ivo Kossian, de 74 anos, colheu uma...

Governo de SC vai lançar projeto para abrigar desalojados do Rio Grande do Sul

Segundo dados da Assistência Social, aproximadamente 400 famílias já...

Notícias Relacionadas