CAOAGRO da Polícia Civil intensifica combate aos crimes contra o agronegócio

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio do Centro de Apoio Operacional de Combate aos Crimes Contra o Agronegócio (CAOAGRO)

Apresentou nesta terça-feira (07) os números relativos aos crimes contra o agronegócio em 2024.

DIVULGACAO-CAOAGRO

Neste ano, o CAOAGRO já recebeu 327 Boletins de Ocorrência relacionados aos crimes contra o agronegócio no Estado, envolvendo 140 municípios pertencentes a todas as 31 Delegacias Regionais de Polícia. No comparativo com 2023, verificou-se o aumento de 3,5% no número de ocorrências recebidas, resultado direto da ampliação e disseminação dos canais de denúncias da Polícia Civil, como a Deleagro Virtual e o Disque Denúncia Agro.

O crime de furto de bovinos (abigeato) representou 28,4% de todos os Boletins de Ocorrências que foram comunicados ao CAOAGRO no ano de 2024. Ao total, foram furtados 273 bovinos, caracterizando um aumento de 13,7% no registro de abigeatos em comparação com o primeiro quadrimestre de 2023.

As Delegacias Regionais de Polícia (DRP) que mais registraram ocorrências contra o agronegócio em 2024 foram Chapecó com 11,9%, Lages com 11,3% e São Miguel do Oeste com 8,9%.

O coordenador do CAOAGRO, Delegado de Polícia Fernando Callfass destacou que os pontos focais do CAOAGRO, criados em abril de 2023, estão sendo muito importantes para aprimorar a repressão qualificada em todas as regiões do Estado.

Além de mapear as ocorrências contra o agro e fornecer suporte às unidades nas investigações, o CAOAGRO realizou operações voltadas à preservação do status sanitário catarinense. Nesse período, a Polícia Civil flagrou crimes ambientais e contra as relações de consumo; interditou abatedouros clandestinos; identificou a falsificação de selos de inspeção; recuperou animais e maquinários subtraídos; vistoriou propriedades rurais; apreendeu agrotóxicos ilegais; efetuou o manejo de javalis; garantiu a segurança dos profissionais sanitários, além da participação em diversas feiras agropecuárias e palestras para difusão de informações.

O delegado Fernando Callfass assinalou que os trabalhos desenvolvidos estão comprovando que a Polícia Civil está no caminho certo. “Com os números e as estatísticas sempre atualizadas está sendo possível trazer estratégias mais assertivas no combate aos crimes contra o agronegócio em Santa Catarina”, disse.

O delegado-geral da PCSC, Ulisses Gabriel, ressaltou que o combate aos crimes contra o agronegócio está sendo cada vez mais intensificado no Estado. O agro é a principal atividade econômica catarinense e está tendo toda a proteção da Polícia Civil.

“Santa Catarina está ampliando a presença da polícia no campo. Esse trabalho de inteligência já mapeou os locais em que as investigações serão reforçadas. Agora é questão de tempo até termos esses bandidos pagando pelos crimes que praticaram contra os nossos produtores, contra as famílias catarinenses que vivem do agronegócio”, afirmou o governador Jorginho Mello.

 

Últimas notícias

O Criciúma Esporte Clube recebeu o Laudo de Salubridade

O Criciúma Esporte Clube recebeu o Laudo de Salubridade,...

Faleceuaos 95 anos o Sr. Pedro Correa Nunes

Faleceu hoje dia (18) a 00:10 no hospital de...

Meia deixa o Atlético Tubarão uma semana depois de ser anunciado

Ele recebeu uma proposta do Ferroviário (CE), que disputa...

Agricultor de 74 anos colhe batata-doce gigante em Alto Bela Vista

O agricultor Ivo Kossian, de 74 anos, colheu uma...

Governo de SC vai lançar projeto para abrigar desalojados do Rio Grande do Sul

Segundo dados da Assistência Social, aproximadamente 400 famílias já...

Notícias Relacionadas